Quinta-feira
06 de Outubro de 2022 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
26ºC
Min
20ºC
Poss. de Pancadas de

Sexta-feira - Rio de Janeir...

Máx
29ºC
Min
23ºC
Instável

Sábado - Rio de Janeiro, R...

Máx
26ºC
Min
22ºC
Poss. de Pancadas de

Domingo - Rio de Janeiro, R...

Máx
30ºC
Min
21ºC
Poss. de Pancadas de

Controle de Processos

Feminicídio: auxiliar de serviços gerais acusado de tentar matar uma mulher a tiros é condenado a mais de três anos de prisão

O auxiliar de serviços gerais Carlos Daniel Alves Pereira Resende, vulgo “Baby”, de 21 anos, acusado de tentar matar a tiros Sâmea Caroline Lopes da Silva Oliveira, foi condenado a mais de 3 anos de prisão. A pena deverá ser cumprida em regime aberto, na Casa do Albergado. O crime aconteceu no dia 17 de agosto de 2019, por volta das 14h, em via pública, na rua 207, quadra 19, lote 5, setor Parque Atheneu, em Goiânia. A sessão de julgamento foi realizada nesta sexta-feira (12) no Fórum Criminal, no Jardim Goiás, sob a presidência do juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos contra a Vida e Tribunal do Júri da comarca de Goiânia. Após a instalação da sessão, o representante do Ministério Público requereu a condenação do acusado nos limites da decisão de pronúncia. A defesa, por sua vez, pugnou pela desclassificação do crime imputado para lesão corporal, sob o argumento da desistência voluntária. Requereu, ainda, o reconhecimento da tentativa de homicídio privilegiado sob o domínio de violenta emoção, e, em seguida, a injusta provocação da vítima. O Conselho de Sentença reconheceu a materialidade delitiva, atribuindo a autoria do disparo de arma de fogo ao acusado, e entendendo que ele deu início a execução de um crime de homicídio que não se consumou por circunstâncias alheias à sua vontade. Ao ser exposto o quesito absolutório, os jurados rejeitaram. Ao analisar a culpabilidade, o magistrado constatou que a reprovabilidade deve ser própria do tipo. Segundo ele, as circunstâncias do crime lhe prejudicaram, posto que as lesões sofridas pela vítima foram graves, conforme demonstrou o Laudo de Exame de Corpo de Delito. Crime Consta dos autos que, no dia do fato, o denunciado aproximou-se da mulher em via pública, numa bicicleta, e, em seguida, desferiu disparos de arma de fogo na direção de Sâmea, atingindo-a na região do pescoço. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado para socorrer a vítima, bem como a Polícia Militar, que prontamente compareceu ao local. Enquanto recebia os primeiros socorros, os militares questionaram a vítima a respeito da identidade do autor dos disparos, quando Sâmea identificou o suspeito como Baby e também o endereço onde poderia ser localizado. De posse dessas informações, os agentes da lei empreenderam diligências, momento em que localizaram Carlos Daniel, dando voz de prisão em flagrante ao denunciado, bem como na apreensão de uma pistola marca Taurus, modelo PT 945, calibre nominal .45, acompanhado de um carregador, seis munições intactas e dois estojos deflagrados. A vítima foi conduzida ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), sendo submetida ao atendimento médico de emergência, conseguindo, assim, sobreviver. Ainda, segundo os autos, temendo represália do denunciado diante das ameaças recebidas por Carlos, mesmo estando internada, Sâmea fugiu do ambulatório antes de receber alta hospitalar, se mudando para outra cidade. Por meio do aplicativo WhatsApp, Sâmea Caroline entrou em contato com um agente de polícia afirmando que Carlos foi a pessoa que tentou tirar sua vida, esclarecendo que o denunciado agiu sozinho. (Texto: Acaray Martins - Centro de Comunicação Social do TJGO)
12/08/2022 (00:00)
Visitas no site:  16973683
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia