Sábado
13 de Abril de 2024 - 

STANCHI & OLIVEIRA

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
Japão 1,86% . . . .

Previsão do tempo

Segunda-feira - Rio de Jane...

Máx
32ºC
Min
24ºC
Chuva

Terça-feira - Rio de Janei...

Máx
34ºC
Min
26ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Rio de Janei...

Máx
35ºC
Min
27ºC
Parcialmente Nublado

Quinta-feira - Rio de Janei...

Máx
34ºC
Min
26ºC
Parcialmente Nublado

Controle de Processos

Palestra da CIJ aborda o programa “Trampo Justo” e a saída de jovens do acolhimento institucional

Encontro ministrado pelo juiz Iberê de Castro Dias. A Coordenadoria da Infância e da Juventude (CIJ) e a Escola Judicial dos Servidores (EJUS) realizaram, ontem (23), a palestra “Maioridade e Desacolhimento: Desenvolvendo a Autonomia de Adolescentes Acolhidos – Programa Trampo Justo”, apresentada pelo juiz titular da Vara da Infância e da Juventude Protetiva e Cível de Guarulhos e integrante da CIJ, Iberê de Castro Dias. O evento foi mediado pelo juiz coordenador do Departamento de Execuções da Infância e Juventude (Deij), Airtom Marquezini Junior. Durante o encontro online, o magistrado fez reflexões sobre os problemas vivenciados por jovens e adolescentes acolhidos institucionalmente que estão prestes a completar 18 anos, como a falta de emprego e de perspectivas, ressaltando os medos e receios sobre o futuro. “Adolescentes são cheios de sonhos, desejos e vontades, por isso é necessário planejar como vai ser a vida. Isso em meio a todas as angústias que cercam a decisão sobre que rumo deve ser tomado. Temos dado esse direito a eles? De sonhar e de ter expectativas? Esse é o ponto central e precisamos buscar formas de lidar melhor com isso”, afirmou. Em seguida, Iberê de Castro Dias falou sobre o programa Trampo Justo, instituído pelo Tribunal de Justiça de São Paulo em 2018 e que oferece, por meio de parceria com empresas, vagas de empregos e cursos profissionalizantes a jovens que estão próximos de deixar as casas de acolhimento. Em 2019, a iniciativa foi vencedora do Prêmio Innovare, que reconhece práticas inovadoras para o aprimoramento da Justiça no Brasil. O palestrante destacou a função social exercida pelas companhias que atuam no projeto. “Os programas de aprendizagem não são destinados a formar os profissionais mais brilhantes para aquela empresa, mas sim de desenvolver adolescentes e jovens, sendo a porta de entrada para o mundo do trabalho. Ela não está ali somente para gerar lucro, mas também para aprimorar o ambiente social em que está inserida”, afirmou. Ao final da palestra, o juiz respondeu perguntas e esclareceu dúvidas dos participantes.
26/02/2024 (00:00)
Visitas no site:  22302129
© 2024 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia